Categoria Variedades

porDenis Pereira

20 CURSOS GRÁTIS E ONLINE PARA QUEM DESEJA EMPREENDER

O Sebrae-SP tem uma série de capacitações, que cobrem temas como liderança, finanças, recursos humanos e gestão de estoques, por exemplo
Cursos do sebrae
Também há capacitações específicas para MEIs (Foto: Divulgação)

A capacitação é essencial para o sucesso de um empreendedor. É importante conhecer todos os aspectos da gestão de um negócio. Inclusive, capacitar-se antes mesmo de abrir a empresa pode ser decisivo para que o empresário prospere.
Sebrae-SP tem uma série de capacitações – todas gratuitas e online – voltadas exclusivamente para empreendedores iniciantes.
Elas cobrem diversos temas, como liderançafinançasrecursos humanos e gestão de estoques, por exemplo. Também há capacitações voltadas para microempreendedores individuais (MEI).
Confira os conteúdos:

1. Planejamento estratégico – download aqui
2. Empreendedorismo – download aqui
3. Torne-se um líder – download aqui
4. Oportunidades e visão de negócios – download aqui
5. Negociação – download aqui
6. Fluxo de Caixa – download aqui
7. Preço de venda no serviço – download aqui
8. Gestão financeira – download aqui
9. Fluxo de Caixa para MEIs – download aqui
10. Equipe motivada – download aqui
11. Criatividade – download aqui
12. Inovação – download aqui
13. Sustentabilidade – download aqui
14. Contratos de trabalho – download aqui
15. Simples Nacional – download aqui
16. MEI – Microempreendedor Individual – download aqui
17. Pequenas empresas nas redes sociais – download aqui
18. Planeje-se para o comércio eletrônico – download aqui
19. Mantendo o estoque em dia – download aqui
20. Qualidade no Atendimento – download aqui
Gostaria de aprender a Importar estes assessórios?
VEJA TAMBÉM:
Aprenda como Importar Produtos – Saiba mais.
Ganhe dinheiro com diversos Serviços – Saiba mais.

Por: PEGN – Fotos: Vídeo captura PortalG2
Postado por: Dicas de Negócios PME e PortalG2 – http://portalg2.com.br

porDenis Pereira

‘CONTEÚDO VIRAL – EXISTE UMA CIÊNCIA POR TRÁS DISTO’, AFIRMA ESPECIALISTA EM VIRALIZAÇÃO

Para o norte-americano Jonah Berger, o meme do gatinho ou a corrente do WhatsApp não chegam até você por coincidência…

o que é e como fazer conteúdo viral

Jonah Berger, o professor de marketing na Universidade da Pensilvânia, nos EUA (Foto: Estadão Conteúdo)

O meme de gatinho ou a corrente no WhatsApp não chegam até você por coincidência. Por trás de todo esse conteúdo “viral” — nome dado ao que se dissemina rapidamente nas redes sociais — há uma ciência e uma fórmula em comum entre todos eles. É isto que afirma Jonah Berger, professor de marketing da Universidade da Pensilvânia e autor do livro Contágio: Por que as coisas pegam, que discute o fenômeno da viralização na web.

“Não é por acaso ou sorte que conteúdos viralizam na web”, disse Berger ao Estado. Ele vem ao Brasil no meio de agosto para um evento organizado pela startup mineira Hotmart. Segundo ele, seis fatores determinam o sucesso de um meme, de um texto ou de uma foto publicada numa rede social. “Um conteúdo pode se tornar viral com todos estes fatores reunidos”, afirma o especialista.

Ao Estado, Berger explica um pouco mais sobre os fatores por trás dos memes e como será o futuro dos conteúdos que viralizam nas redes sociais. Abaixo, confira os melhores trechos da entrevista:

Como e quando você começou a estudar conteúdo viral?
Jonah Berger: No começo dos anos 2000, quando eu cursava a graduação na Universidade de Stanford, queria saber porque algumas notícias e textos “viralizavam”. Naquela época, a distribuição de conteúdo online não era tão sofisticada, mas alguns jornais costumavam publicar essas listas na edição impressa. 

Assim, todos os dias, o The Wall Street Journal publicava a lista dos cinco artigos mais lidos no dia anterior. E aí, depois de analisar esse material, fiquei fascinado pelo que vi. Era uma fonte de dados perfeita para estudar o motivo de algumas são mais compartilhadas do que outras.

E qual foi a conclusão? Por que alguns conteúdos são mais compartilhados do que outros?
Existe uma ciência por trás do conteúdo viral, com seis fatores que levam as pessoas a comentarem e compartilharem. Para facilitar a compreensão, eu uso a sigla STEPPS [de steps, que significa passos em inglês], que representa seis fatores: Moeda Social, Gatilhos, Emoção, Público, Valor Prático e Histórias. São eles que influenciam a “viralização” de um conteúdo nas redes sociais e na internet.

O que são esses fatores?
Moeda Social é a ideia que as pessoas tendem a falar mais sobre algo que as fazem parecer melhor e mais espertas, que as fazem se sentir especiais. Gatilhos são porque achocolatado nos faz pensar em leite, sabe? Associações faz com que haja mais boca a boca. Emoção surge conforme você fizer que as pessoas se sintam bem dispostas, animadas, ou mesmo sintam algo negativo em relação ao conteúdo. 

Com isso, mais elas tendem a passar o conteúdo para frente. Público é a ideia de que fazer com que um comportamento seja mais observado, para que ele seja imitado, faz com que sua ideia tenha mais chances de pegar. Quando algo tem Valor Prático, quando é útil, as pessoas compartilham com as outras, para ajudá-las. E, por último, Histórias fazem com que seu conteúdo seja envolvido numa narrativa que leva a pessoa numa viagem.

Estes fatores podem ser aplicados à qualquer conteúdo? Afinal, recentemente, vários políticos, como Donald Trump e Dilma Rousseff, usaram memes e conteúdo viral para ajudar nas campanhas.
Sim. Independente do que você pensa das políticas de Trump, ele usou muito das STEPPS para fazer suas ideias pegarem. Ele usou a influência de emoções inflamatórias como raiva e ansiedade, e compartilhou histórias em vez de fatos para levar pessoas à ação em sua campanha presidencial.

Comparando os dias de hoje com o começo da sua carreira, o que mudou na viralização de conteúdo?
Hoje há mais atenção do que nunca. Por isso, o mais importante é focar na psicologia e entender porque as pessoas comentam e compartilham. Pense em um vendedor ou em um profissional de marketing: eles estão sempre buscando novas ferramentas para atrair a atenção das pessoas, mas assim que os consumidores se dão conta que estão tentando vender alguma coisa, eles reagem negativamente à mensagem. 

Eles se afastam e param de prestar atenção, ou se irritam e gostam ainda menos do produto. É a mesma coisa que acontece quando os pais falam para os filhos comerem verduras. Por isso, o boca a boca orgânico é muito mais eficaz. As pessoas sabem que os amigos não estão tentando vender algo, então eles escutam o que os amigos têm a dizer ou mostrar, seja qual for o conteúdo.

OBS: com certeza você pode usar 
Fonte: PEGN – Foto: Estadão
Postado por: Dicas de Negócios PME e PortalG2 – http://portalg2.com.br

DICAS:

Aprenda como Importar Produtos – SAIBA MAIS.

Como Ganhar Dinheiro ou ter uma Renda Extra – SAIBA MAIS.

______________________________________________________
TAGS: viral, conteúdo viral, marketing, viralização, como ganhar dinheiro
porDenis Pereira

Ganhe 1000 Mil Reais por Evento em Van de Salão de Beleza Móvel em Festas Infantis

Empresária investiu R$ 110 mil no novo negócio. Van é customizada e tem mais de mil opções de cosméticos e acessórios.

Ganhe 1000 Mil Reais por Evento em Van

No setor de festas infantis nem sempre é fácil agradar o público. Pensando nisso, a empresária Gabrielle Sant’Ana criou a van da beleza, um salão de beleza infantil móvel.

Antes de colocar essa ideia em prática, Gabrielle teve uma confecção. Ela vendeu esse negócio, o carro e investiu R$ 110 mil no novo negócio. 

Só para adaptar a van, foram R$ 40 mil. “A van é inteirinha customizada, tem cílios, é toda envelopada. Dentro, transformamos em um salão de beleza. 

Temos mais de mil opções em cosméticos e acessórios importados, esmaltes, penteadeira. Tudo que tem maquiagem e itens de beleza as crianças adoram”.

A própria empresária dirige o salão móvel. Ela faz de seis a oito festas por mês e cobra a partir de 
R$ 1 mil por evento. Segundo Gabrielle, essa é a primeira van de muitas: “É um mercado promissor, estamos em expansão”.

BEAUTY & FUN
Rua Rubem Braga, 58 – Sala 902 – Melville Empresarial I e II
Barueri /SP – CEP: 06485-365
Telefone: (11) 9 4204-2040
Email: beautyandfun@outlook.com
www.beautyandfun.com.br


Fonte: PEGN – Fotos: Vídeo Captura Portal G2
Postado por: Dicas de Negócios PME e PortalG2 – http://portalg2.com.br

DICAS:

Aprenda como Importar Produtos – SAIBA MAIS.

Microfranquia de Venda de Camisetas – SAIBA MAIS.


______________________________________________________
TAGS: negócio para investir, novo negócio, Negocio móvel, Trabalhar em van, Franquia, como ganhar dinheiro
porDenis Pereira

6 FRANQUIAS BARATAS DE ATÉ R$ 7 MIL PARA TRABALHAR EM CASA (HOME OFFICE).

Confira oportunidades de negócio para quem deseja investir pouco e administrar uma empresa no home office.


6 Franquias de ate R$ 7 Mil para Trabalhar em casa(Home Office)
É possível ser um franqueado trabalhando de casa, investindo pouco (Foto: Divulgação)

Trabalhar de casa é o desejo de muitos. Uma forma de realizar esse sonho é se tornar um franqueado home-based.

Existem empresas que oferecem a opção de franquia home-office, ou seja, você não precisa de um escritório comercial para ser um franqueado. Se você se interessou por esse modelo, e não pode investir muiito dinheiro, veja seis opções de microfranquias para trabalhar de casa, com investimento de até R$ 7 mil.

Todas as redes estão no Guia de Franquias 2017/2018 de Pequenas Empresas & Grandes Negócios. No total, a edição traz informações sobre mais de 1000 redes. Você pode comprar o Guia nas bancas de todo o Brasil e também fazer seu download no seu tablet. Confira mais informações no aplicativo do Guia de Franquias. Baixe-o aqui.

1. Vilesoft

6 MICROFRANQUIAS BARATAS
Fundada em 1986, em Minas Gerais, a Vilesoft é uma empresa que desenvolve software para gestão de empresas de diversos portes e segmentos. Entre eles, indústria, telemarketing e até de saúde.

Para ser um franqueado home-based da empresa, o investimento é de R$ 1,9 mil.

2. Esthetic Green

MICROFRANQUIAS DE TRABALHAR EM CASA COM COSMÉTICOS
A Esthetic Green é uma união de loja de dermocosméticos e centro de estética. Entre os produtos vendidos pela empresa, há 12 marcas disponíveis, além de 30 serviços de estética

Você pode ter uma franquia em casa da Esthetic Green investindo R$ 1,9 mil.

3. College Personal English

MICROFRANQUIA PARA TRABALHAR EM CASA (HOME OFFICE)
A rede de escolas de inglês College Personal English foi fundada em 1995, por João Araújo, em Minas Gerais. O foco da escola é o ensino do idioma a universitários e, uma das possibilidades são as aulas online.

Os franqueados também podem aderir ao modelo de franquia online, em que ficam responsáveis pelos contatos comerciais, podendo dar ou não as aulas. Para esse modelo, trabalhando em casa, o investimento é de R$ 2,6 mil.


4. AcquaZero

6 MICROFRANQUIAS PARA TRABALHAR EM CASA
A AcquaZero foi criada em 2009 pelo empreendedor Marcos Mendes. A proposta da rede de franquias é lavar o carro gastando menos de um copo de água. O segredo da limpeza diferente está em um produto químico desenvolvido pela própria marca.

O investimento inicial necessário para ter uma unidade da AcquaZero é de R$ 5,5 mil.

5. PremiaPão

MICROFRANQUIA BARATA DE ATÉ R$ 7 MIL
A PremiaPão é especializada na comercialização de publicidade em sacos de pão. Fundada por jovens empreendedores, a empresa tem, hoje, mais de 200 unidades espalhadas pelo Brasil.

Para ser um franqueado home-based da PremiaPão, é preciso investir R$ 6 mil.

6. CI

6 MICROFRANQUIAS PARA TRABALHAR EM CASA
Fundada em 1988, por dois empreendedores brasileiros, a CI é uma empresa de intercâmbios. Ela oferece cursos de idiomas em diversos países, intercâmbio de férias para adolescentes, programas de estágio e de trabalho remunerado, mochilões, cursos profissionalizantes, entre outras opções.

Você pode ter uma franquia da CI em sua casa com o investimento de R$ 7 mil.


Fonte: PEGN – Foto: Divulgação
Postado por: Dicas de Negócios PME e PortalG2 – http://portalg2.com.br

DICAS:

Aprenda como Importar Produtos – SAIBA MAIS.

Microfranquia de Venda de Camisetas – SAIBA MAIS.


______________________________________________________
TAGS: negócio para investir, novo negócio, home office, Negocio em casa, Trabalhar em casa, Franquia Barata, como ganhar dinheiro

porDenis Pereira

EMPRESA FATURA 1.7 MILHÃO POR MÊS COM COMIDA CONGELADA GOURMET

O francês François Christian Pierre Mallard, 47, trouxe técnicas de cozimento de sua terra natal e fundou a Brasil Gourmet.

Empresa fatura 1.7 Milhão com comida congelada

Filé de frango recheado com queijo da Brasil Gourmet (Foto: Divulgação)


Qual é a primeira imagem que lhe vem à cabeça ao pensar em uma refeição congelada? Na maior parte das vezes, o alimento pode ter um gosto industrializado demais ou ainda ser sem sabor e ‘sem graça’. No entanto, para o chef francês François Christian Pierre Mallard, comidas congeladas podem, sim, ser saborosas, aprazíveis e bem apresentadas. Foi por conta desse pensamento que o cozinheiro criou, em 2013, a Brasil Gourmet.


Instalada em uma área de 4.000 m² em Juiz de Fora, Minas Gerais, a Brasil Gourmet produz cerca de 130 toneladas de alimentos por mês – todos eles prontos para consumo. Mas isso não significa que eles vêm em latinhas com conservantes ou caixotes de papelão congelados. Na verdade, as refeições que saem da indústria passam por técnicas de cozimento francesas: o “sous vide” e o “cook & chill”.

O “sous vide”, técnica criada em 1970, consiste em embalar o alimento já temperado à vácuo dentro de um saco apropriado e cozinha-lo em tanques de água em temperatura constante e por um longo período de tempo, até chegar na consistência ideal.


Essa técnica mantém o ‘caldo’ que a comida solta e, por isso, retém as propriedades e as fibras que normalmente são perdidas na cocção.

Já o “cook & chill” significa, basicamente, um cozimento dentro dos padrões de qualidade com imediato resfriamento ou congelamento do alimento.


François Christian Pierre Mallard, da Brasil Gourmet (Foto: Divulgação)

“Trabalhei com as técnicas por muito tempo em uma indústria francesa multinacional nos Estados Unidos. Depois ela abriu uma filial no Brasil, então vim pra cá. O negócio não deu muito certo, acabou fechando, mas acabei ficando aqui”, diz o francês, que se estabeleceu em Minas Gerais em 2001.

Com as práticas de cozimento em mente e nas mãos, François percebeu uma demanda de mercado por alimentos prontos para consumo de boa qualidade. “Senti que o Brasil tinha que valorizar a matéria-prima que produzia e, ao mesmo tempo, as pessoas precisavam de processos que facilitassem a preparação de alimentos”, afirma o chef.

Atualmente, a Brasil Gourmet conta com mais de 100 receitas elaboradas por François. O cardápio vai desde proteínas animais, como costelinha suína, confit de pato, filé de frango recheado com queijo), até massas, molhos e o tradicional arroz e feijão. 

 Camarão com pasta e vegetais
Camarão com pasta e vegetais (Foto: Divulgação / Brasil Gourmet)

A clientela da Brasil Gourmet são marcas e redes e franquias de restaurantes, supermercados, cozinhas industriais, hospitais e hotéis das cinco regiões do país.

No período de um mês, a fábrica produz cerca de 130 toneladas de alimento e fatura, aproximadamente, R$ 1,7 milhões.

Para os próximos meses, o objetivo é crescer ainda mais, principalmente por conta de um equipamento de congelamento à base de nitrogênio que vai dobrar capacidade de produção de refeições, possibilitando chegar até 240 toneladas de alimentos por mês.

Fonte: PEGN – Foto: Divulgação
Postado por: Dicas de Negócios PME e PortalG2 – http://portalg2.com.br

DICAS:

Aprenda como Importar Produtos – SAIBA MAIS.

______________________________________________________
TAGS: gastronomia, negócio para investir, novo negócio,
porDenis Pereira

EMPREENDEDORA INVESTE R$ 300 REAIS E FATURA 60 MIL COM NEGÓCIO LUCRATIVO

No último ano, a Virall Retrô faturou R$ 60 mil vendendo cerca de 90 peças de biquínis e lingeries

Negocio Lucrativo
Patricia Helena Galves é a fundadora da Virall Retrô, que faz biquínis e lingeries sob medida (Foto: Divulgação)

Patricia Helena Galves, paulistana de 28 anos, sempre teve vontade de abrir seu próprio negócio. Formada em design de moda e filha de costureira, ela partiu de uma máquina de costura caseira e investimento inicial de cerca de R$ 300 em tecido para realizar seu sonho.


A Virall Retro, que vende biquínis e lingeries sob medida, surgiu do trabalho de conclusão de curso da faculdade de Patricia. “Fiz um biquíni de poá estilo retrô que sonhava há tempos, mas nunca encontrava do jeito que queria. Mostrei para minhas amigas e elas adoraram”, conta a empreendedora.


Depois do apoio das amigas, Patricia decidiu investir em seu sonho. Com recursos caseiros fez os biquínis que seriam a primeira coleção da marca. A empresa foi lançada oficialmente em março de 2015, com um ensaio na praia que tinha as amigas de Patricia como modelos para as peças.



Com 300 Reais e Ganhe 60 Mil com Negocio LucrativoPara adquirir uma peça, basta escolher o modelo e informar as medidas necessárias na hora de concluir a compra pelo site (Foto: Divulgação)


A empresa começou vendendo biquínis. Depois, as lingeries entraram no catálogo. As peças eram feitas seguindo uma tabela tradicional de tamanhos. Mas, com o tempo, isso mudou, explica Patricia: “Eu percebi que somente com uma tabela padrão  não conseguia atender minhas clientes, e assim fui mudando o método”.

Hoje o diferencial da empresa é produzir peças sob medida e personalizadas. “Acredito que cada mulher é única e tem um corpo diferente. Temos que respeitar isso”, afirma a empreendedora. Ela diz buscar, em seu negócio, entender a necessidade e o desejo de suas clientes.

O negócio cresceu e, neste ano, ganhou a primeira funcionária. Heloise Almeida, também de 28 anos, é quem coordena as redes sociais da marca e a produção dos ensaios que divulgam as roupas.

As peças da Virall Retrô, todas produzidas por Patricia, são vendidas pelo site e página do Facebook da marca. Como os biquínis e lingeries são feitos sob medida, a empreendedora criou um manual que ensina as consumidoras a tirar as medidas corretamente.

Para adquirir uma peça, basta escolher o modelo e informar as medidas necessárias na hora de concluir a compra pelo site.

No último ano a empresa vendeu cerca de 90 peças por mês, e faturou R$ 60 mil. Os biquínis ainda representam maior parte das vendas, por isso, no período do verão e o que o antecede, as vendas são maiores, segundo Patricia.

Como planos para o futuro, a dona da Virall Retrô busca aumentar a produção. Isso será possível ao contratar parceiras para auxiliar na confecção e ao investir em um local maior para o ateliê.


Fonte: PEGN – Foto: Divulgação
Postado por: Dicas de Negócios PME e PortalG2 – http://portalg2.com.br

DICAS:

Aprenda como Importar Produtos – SAIBA MAIS.

______________________________________________________
TAGS: gastronomia, negócio para investir, novo negócio,
porDenis Pereira

Pet Shopping virtual reúne Pets em um raio de 5 KM para venda de produtos

Site mapeia Petshops em um raio de 5 km e mostra os preços.
A entrega é feita em, no máximo, três horas.

Pet Shoping de Animais

O mercado pet vem driblando a crise e só ano passado faturou R$ 19 bilhões no Brasil. A novidade agora é um shopping virtual que só vende produtos para animais de estimação. São dezenas de lojas e milhares de produtos na tela do celular ou do computador.

O shopping virtual exclusivo para pets foi ideia de Marcelo Bondezian. Ele montou o negócio em 2016. “Nós vimos que não existia um marketplace para esse segmento. As pessoas ainda têm o habito de comprar em mercado ou ir até pet shop. Eu vi uma oportunidade aí”, conta o empresário.

Marcelo investiu R$ 500 mil para contratar equipe, desenvolver e divulgar o portal. Até agora, reuniu 143 petshops: “Para o pequeno empresário, a vantagem é que ele entra no shopping virtual, expõe seus produtos, sem ter que investir nada. É de graça. Só paga depois que vende, 5% de comissão”.

Denis Matiussi é dono de um petshop e se cadastrou no shopping virtual. Em um mês, teve 20 pedidos: “O fato da gente ter escolhido esse shopping virtual para trabalhar junto é por não ter a necessidade de fazer investimento em tecnologia. Não preciso criar meu próprio aplicativo, meu próprio ecommerce e gastar, investir muito em tecnologia e marketing”.

O marketplace tem 12 mil itens cadastrados, de ração e vacinas a roupas, brinquedos e acessórios e foi programado para facilitar a vida do consumidor. Assim que registra o endereço, o site mapeia as lojas em um raio de 5 km da casa deles e mostra os produtos que eles selecionaram com os preços cobrados em cada petshop. Assim que o cliente escolhe os produtos, o petshop selecionado recebe o pedido. A entrega é feita em, no máximo, três horas.

Como o consumidor não está preocupado com o tamanho da loja, mas com produto e preço, ele vai no atendimento e preço. Se a loja é pequena, tem produto competitivo e entregar em prazo adequado, ele não é diferente de uma rede. Então, dentro de um marketplace todos são iguais. O pequeno fica grande”, explica Marcelo.

O marketplace pet ainda não dá lucro, mas o empresário não duvida do potencial do negócio. Além dos 5% cobrados sobre o valor das compras, o site tem o big data, que é a informação de todos clientes e seus melhores amigos.

PET COM
Avenida do Oratório, 2944 – Parque São Lucas
São Paulo/SP – CEP: 03220-100
Telefone: (11) 2742-3736
Email: contato@petcompleto.com.br
www.petcompleto.com.br

BEAGLE
Telefone: (11) 2364 5785
www.aplicativobeagle.com.br
Fonte: PEGN – Foto: Divulgação
Postado por: Dicas de Negócios PME e PortalG2 – http://portalg2.com.br

DICAS:

Aprenda como Importar Produtos – SAIBA MAIS.


TAGS: Petshopping, dicas pra negócios, site de animais
porDenis Pereira

5 DICAS PARA EMPREENDER – DO ATOR BRUNO GAGLIASSO

O ator Bruno Gagliasso, que tem empresas em diversos segmentos, dá dicas importantes para quem sonha em abrir um negócio

5 DICAS PARA EMPREENDER - DO ATOR BRUNO GAGLIASSO
Bruno Gagliasso é empreendedor com negócios em diversos setores (Foto: Divulgação)


Bruno Gagliasso, de 35 anos, é conhecido no páis por sua carreira de ator. No entanto, o carioca também é um empreendedor de sucesso. Ele participa de negócios de diversos setores.

RECOMENDADO PARA VOCÊ

O ator é sócio de diversos empreendimentos. Tem sociedade, por exemplo, em restaurantes, como o orgânico Le Manjue, a lanchonete Burger Joint e o Forneria Família Gagliasso, especializado em culinária italiana; no mercado fitness, com a academia de crossfit CFP9; nas artes marciais mistas, com o evento de lutas Fight 2 Night; no setor hoteleiro, com a Maria Bonita Noronha, uma pousada localizada em Fernando de Noronha; no mercado de beleza, com o Espaço Gioh, um salão montado com a esposa, Giovanna Ewbank; na produção de conteúdo, com o Gioh, um portal também gerenciado em parceria com Giovanna; e no mercado de startups, com a Brave, uma plataforma que cria aplicativos de transporte e mobilidade, e a CredPago, que intermedia o contato entre locatários e pessoas que desejam alugar um imóvel.

PUBLICIDADE

O último projeto, o CredPago, é um dos quais o ator deposita suas esperanças. “Liberamos, em 20 minutos, um aluguel. Normalmente o processo leva 20 dias. Vamos facilitar a vida de quem atua no mercado imobiliário e de quem busca um lugar para morar”, diz Gagliasso.

A SEGURIR 5 DICAS:


1. Ter uma equipe é fundamental
Segundo Gagliasso, é impossível ter sucesso no mundo dos negócios sem o apoio de profissionais competentes. O ator e empreendedor, inclusive, tem uma holding, chamada 13BGM, que é responsável pela gestão das empresas. “Tenho um escritório, com pessoas que cuidam de todos os aspectos do negócio e estudam mercados com potencial de sucesso”, afirma.

Gagliasso afirma que, em períodos em que está fazendo novelas, ele não conseguiria cuidar das empresas sozinho. “Seria simplesmente impossível. Sem um bom time, nem eu nem qualquer empreendedor consegue ter bons resultados”, diz.

2. Empreender é técnica
O carioca afirma que, na carreira de ator, a capacidade de expressar emoções é determinante para o sucesso. Já no empreendedorismo, a racionalidade é mais importante. “É importante pensar em vários cenários, estudar bastante e dominar assuntos que interessam para o seu negócio. Empreender é técnica.”

3. Aposte no que você acredita
Em sua carreira como empreendedor, Gagliasso apostou em negócios de vários mercados. Segundo ele, essa diversificação não foi estratégica – ele não seguiu esse caminho para não ser afetado por uma crise que dizimasse um determinado setor, por exemplo. Ele o fez por gostar dos mercados que escolheu. “É claro que eu faço análises e não tomo nenhuma decisão por impulso, mas acredito nos negócios que escolho”, afirma Gagliasso.

4. Amigos, amigos…
Negócios à parte. Gagliasso costuma atuar em parceria com sócios. Segundo eles, amizades prévias não foram determinantes para o estabelecimento de uma parceria. “Negócio é negócio. Prefiro conhecer um sócio competente e me tornar amigo dele do que virar sócio de alguém que eu já gosto. Seu amigo pode não ser o sócio que você precisa.”

5. Não pense em crise
Gagliasso diz que o Brasil enfrentou crises na grande maioria da sua vida. E que os momentos de calmaria são exceções à regra. “Empreender no Brasil é complicado. Vamos atravessar mais alguns anos de crise. É por isso que, em vez de pensar em crise, o empreendedor brasileiro deve ter foco e se preparar para cuidar do próprio negócio.

Fonte: PEGN – Foto: Divulgação
Postado por: Dicas de Negócios PME e PortalG2 – http://portalg2.com.br

DICAS:

Aprenda como Importar Produtos – SAIBA MAIS.


TAGS: Bruno Gagliasso, dicas pra negocios, dicas pra empreendedores

porDenis Pereira

Móveis feitos de papelão reciclável – produto sustentável

Móveis feitos de papelão reciclável

O papelão é 100% biodegradável e tem impacto mínimo na natureza. 
Mas não basta ser apenas ecológico, é preciso ser competitivo. 

móveis feitos de papelão

Bruno faz todo tipo de móveis de papelão. Bancos, mesas, cadeiras, brinquedos. O segredo da resistência está na posição das folhas e nos encaixes.

“A gente tem esses encaixes triangulares sobrepostos que formam a coluna de força do banquinho. Em cima disso, ainda tem esses encaixes cruzados de assento para dissipar toda a força de forma mais equânime para maximizar a força do papelão”, conta o empresário Bruno Pellegatti.
A empresa compra as folhas de papelão e faz o corte conforme cada modelo. Bastam segundos para montar.
O papelão é 100% biodegradável e tem impacto mínimo na natureza, mas, para ganhar mercado, não basta mais ser apenas ecológico, é preciso ser competitivo. “O papelão é uma matéria-prima barata. Três folhas, por exemplo, custam 12 reais, e fazem uma cadeira, vendida a 50. Outra coisa: o papelão é leve. O frete fica mais barato”, conta.

O Bruno despacha móveis para 50 empresas em todo o país. Para baixar ainda mais os custos, a empresa só usa papelão reciclado, que é 30% mais barato que o virgem.  E o desperdício é zero.

“Você pode ver que até as aparas oriundas da produção são fardadas, prensadas e vendidas para indústrias de reciclagem, que transforma isso de novo em um papelão que um dia pode até virar um banquinho”, explica.

A empresa de Bruno vende duas mil unidades por mês. No ano passado, faturou R$ 800 mil com os móveis de papelão. “Com a crise, criamos um novo canal de vendas. 
O varejo veio com muita força. Nós não atendíamos com tanta força na época, vamos dizer, áurea. A expectativa agora com o reaquecimento da economia é crescer bastante”, conta Bruno.
Os setores sustentáveis para você começar a montar a sua empresa:

– Construção Civil
– Madeira reciclada
– Vestuário

Essas são áreas em que o pequeno empreendedor pode investir com preço competitivo e que geram negócios que evidenciam a sustentabilidade de forma bem aparente para o público.

O consultor Marcus Nakagawa vê outro fator importante para quem entra no setor ecologicamente sustentável. “A inovação é o principal da sustentabilidade. Dizem que a sustentabilidade é até um motor da inovação para que as pessoas criem novos serviços, como por exemplo, móveis de papelão ou outros resíduos para poder se reciclar”, explica.

Cartone Design
Site: www.cartonedesign.com.br

ESPM
Telefone: (11) 5085 – 4600
Site: www.espm.br
Email: marcus.nakagawa@espm.br



Fonte: PEGN-G1 / Foto: G2 Vídeo capitura.
Postado por: Dicas de Negócios PME e Portal G2 – http://portalg2.com.br


porDenis Pereira

WHATSAPP X GOOGLE ALLO? CONHEÇA O APP DE MENSAGENS GOOGLE.

Aplicativo que aprende como usuário escreve deve chegar ao Brasil em alguns dias

GOOGLE  ALLO X WHATSAPP? VEJA - GOOGLE LANÇA APP DE MENSAGENS.

Google Allo: app concorre com o WhatsApp (Foto: Reprodução)
O Google lançou nesta quarta-feira o Allo, um aplicativo de mensagens que incorpora a ferramenta de buscas da gigante da internet e um chat com um sistema que permite ao app aprender como a pessoa escreve, recorrendo à inteligência artificial.

RECOMENDADO PARA VOCÊ




Assim, graças à ferramenta “Smart Reply” (algo como “resposta inteligente”), ele analisa a mensagem recebida e pode identificar o conteúdo e responder com a risada mais comum do usuário (“kkkk” ou “hahaha”). E, se alguém enviar a foto de um sorvete, ele pode sugerir como resposta “delicioso”, ou “eu quero”.

O app foi apresentado em maio, mas só agora houve o lançamento. Ele vai concorrer com WhatsApp e Facebook Messenger. O Allo chega um mês depois do Duo, aplicativo de chamadas de vídeo da Google apresentado na mesma ocasião.

O Allo inclui também uma janela de chat com o Google Assistant, um assistente pessoal virtual como a Siri, da Apple. Para “convocar” essa ajuda, basta que o usuário escreva @google em um chat seguido de uma busca, e os resultados aparecerão na mesma tela da conversa.

“(O app) melhora à medida que vai sendo usado”, explicou Amit Fulay, gerente de produto da Google, em uma postagem de blog.

Outra ferramenta permite que o usuário cole stickers, desenhe ou escreva em cima das fotos antes de enviá-las pelo app — algo similar ao que pode ser feito no Snapchat.

Assim como outros aplicativos de troca de mensagem, o Allo terá criptografia de ponta à ponta. Mas, diferentemente do WhatsApp, que usa esse tipo de encriptação em todas as conversas, no app da Google isso só vale naquelas trocadas no modo “incógnito”.

Apesar do lançamento oficial, o Allo ainda está indisponível em alguns países — como o Brasil. Segundo a Google, o aplicativo estará disponível em todo o mundo dentro de alguns dias.



VEJA TAMBÉM:



Fonte: PEGN – G1 Foto: Reprodução

Portado por Dicas de Negócios PME e Portal G2 – http://portalg2.com.br


TAGS google, whats app, allo app